60 anos de história. Parabéns, Borborema!

E assim aconteceu…

(Albanisa Assunção)

 

Borborema, de encantos sem fim, uma cidade se tornou,

Hoje, com sessenta anos, tem memórias e valor.

Por ter sido ali, na casa de Serafim, que esta história começou.

Na  casa de João da Mata,  se recebia a visita, daquele que de Boa Vista, seu nome colocou.

 

Pouco a pouco, essa grande fazenda de café crescia pelas mãos de um doutor.

Igrejas, estação, moinhos, casas e padarias, uma Vila se formou.

O rio, que o local banhava, em um grande açude veio se tornar.

E, em sua homenagem, de boa Vista seu nome, passou para Camucá

 

José Amâncio Ramalho, um homem visionário, toda cidade planejou.

Com a Great Western, trouxe o trem e com bons maquinários, a hidroelétrica criou.

Em seguida, uma fecularia, e para ingleses importou:

Café, fécula de mandioca, arroz, até a fubá de milhou, ele levou.

 

Porém, pra se tornar cidade, de Bananeiras, o vilarejo se separou.

Não foi tarefa fácil, pedidos e assinaturas, os vereadores entregaram, ao governador.

E pelas mãos do deputado Nominndo Diniz que o projeto apresentou.

Em 1959,  a vila se emancipou, e, em 12 de novembro, a nova cidade de Borborema se chamou.

60 anos de história.
Parabéns, Borborema!

COMPARTILHAR